HISTÓRIA DE CURRAL DE DENTRO

Arte para História

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA

Geograficamente, Curral de Dentro está localizado no Norte de Minas Gerais, com a área de 572,5 Km², e a população de 6.669 habitantes, estimada pelo IBGE (01/07/2005). Faz parte da bacia do Rio Pardo, porem não existe nenhum grande rio que banhe o município, mas existem pequenos riachos. Os dois rios mais importantes são: Rio Itaberaba e Rio Mosquito, existindo também outros menores.

A principal rodovia que serve o município é a MG 251. Os municípios que fazem divisa com Curral de Dentro são: Águas Vermelhas, Berizal, Cachoeira de Pajeú, Santa Cruz de Salinas e Taiobeiras.

A ORIGEM DO NOME DA CIDADE:

Os currais construídos na atual Praça Miguel Alves dos Santos e serviam para os fazendeiros, seus capatazes e vaqueiros prenderem o gado, quando passavam pela região e precisavam pernoitar, sem se preocupar.

Após a morte do Capitão Ramirão, algumas famílias começaram a povoar esta região, sendo o pioneiro, o Major Catolino, que trouxe varias mulheres com a intenção de povoar a região. Com o passar do tempo, muitas delas foram embora e Curral de Dentro tornou-se uma vela com poucas famílias.

As casas eram feitas de enchimento ou de madeiras entrelaçadas, amarradas com cipó e revestidas com barro.

Tinha com atividade agrícola a plantação de feijão, arroz, milho, cana-de-açúcar e mandioca, que era utilizada na fabricação de farinha, para o consumo apenas dos moradores e era produzida em casas de roda.

Apesar do pouco comércio, a farinha que se produzia era comercializada fora, entre os povoados de Pedra Azul e Taiobeiras. Desses locais onde se comercializava a farinha, traziam rapadura e sal.

Com o clima e solo favoráveis, a população foi aumentando. Vieram para cá: o Sr. Zé Caturra, que hospedava o Padre em sua casa e as missas eram celebradas embaixo de um pé de mulungu e o padre que veio a Curral de Dentro chamava-se Emanoel; veio também a família do Sr. Marcionílio, filho de Ferraz, que trouxe o primeiro carro á vila, desviando de “tocos”, porque as estradas eram apenas para transporte de animais.

Há quarenta anos, Curral de Dentro era apenas um lugarejo, onde o primeiro habitante era um Sr. Chamado Capitão Ramirão, que era dono de toda esta área cercada por vegetação denominada “gerais”  e “matagal”, cercado por lagoas que receberam o nome de: Lagoa de Curral de Dentro, Lagoa da Laje, Lagoa da Fortuna, Lagoa Funda, Lagoa do Marinheiro, Lagoa do Nero, Lagoa do Gerais, Lagoa Formosa, Lagoa do Cambucão, Lagoa do Capão e Lagoa do Piripiri. A maior destas lagoas é a Lagoa de Curral de Dentro, localizada dentro da cidade, onde muitas crianças e jovens se divertiam em suas proximidades, antigamente. Algumas, são lagoas temporárias, e são localizadas nas proximidades do município, no meio rural.

O Sr. Ramirão possuía muito gado e construiu um curral grande e um menos dentro deste, para separar o gado. É por esse motivo que a cidade recebeu o nome de Curral de Dentro.

Os currais foram construídos na atual Praça Miguel Alves dos Santos e serviam para os fazendeiros, seus capatazes e vaqueiros prenderem o gado, quando passavam pela região e precisavam pernoitar, sem se preocupar.

Após a morte do Capitão Ramirão, algumas famílias começaram a povoar esta região, sendo o pioneiro, o Major Catolino, que trouxe varias mulheres com a intenção de povoar a região. Com o passar do tempo, muitas delas foram embora e Curral de Dentro tornou-se uma vela com poucas famílias.

As casas eram feitas de enchimento ou de madeiras entrelaçadas, amarradas com cipó e revestidas com barro.

Tinha com atividade agrícola a plantação de feijão, arroz, milho, cana-de-açúcar e mandioca, que era utilizada na fabricação de farinha, para o consumo apenas dos moradores e era produzida em casas de roda.

Apesar do pouco comércio, a farinha que se produzia era comercializada fora, entre os povoados de Pedra Azul e Taiobeiras. Desses locais onde se comercializava a farinha, traziam rapadura e sal.

Com o clima e solo favoráveis, a população foi aumentando. Vieram para cá: o Sr. Zé Caturra, que hospedava o Padre em sua casa e as missas eram celebradas embaixo de um pé de mulungu e o padre que veio a Curral de Dentro chamava-se Emanoel; veio também a família do Sr. Marcionílio, filho de Ferraz, que trouxe o primeiro carro á vila, desviando de “tocos”, porque as estradas eram apenas para transporte de animais.

O Sr. João Rego trouxe aqui a primeira moto, que naquela época chamavam de motor.

A primeira rua recebeu o nome de Maria do Beco, porque existia uma casa que era habitada por uma mulher chamada Maria e a casa era localizada em um beco. Atualmente essa rua se chama Rua Pedra Azul.

Naquela época, só estudavam pessoas com boas condições financeiras, pois os professores eram particulares e só atendiam de 1ª à 3ª série primária.

Houve a construção do primeiro prédio no início dos anos 60, com recursos angariados pelo vereador Veríssimo Teixeira, que em 1963, trouxe a 4ª série primária para o povoado.

O primeiro posto de saúde foi instalado neste município no dia 13 de março de 1978, com atendimento das técnicas de enfermagem: Maria Teixeira dos Santos (Mariinha Pereira) e Eleida Evangelista Mendes; mais tarde, houve o atendimento medico com a Dra. Nilza Santiago Granato.

Em 1984, o vereador João Alves Gomes ( F. 1997), juntamente com outros políticos, trouxeram a extensão de série e implantaram no Distrito o 1° grau (Ensino Fundamental).

O 2° grau (Ensino Médio), só foi implantado em 1998. hoje no município, existem varias escolas, sendo duas estaduais (01 na sede e outra no distrito de Maristela) e as demais são municipais, divididas entre a zona urbana e rural.                                  

A instalação do cartório ocorreu em 1978. em julho de 1980, foi instalada na comunidade a energia elétrica pelo DAE – Departamento de Água e Energia Elétrica, atual CEMIG, através do Prefeito Darcy Spósito e vereadores: Valdivino Antônio Ferreira (Dé Cocá) e João Alves Gomes. Antes da energia, a comunidade era beneficiada pela luz a motor, beneficio este, trazido pelo Prefeito Laurentino José de Almeida e esforços dos vereadores José Dias de Oliveira e Valdivino Antônio Ferreira (Dé Cocá).

Também no ano de 1984, o Prefeito José Laurentino de Almeida implantou na comunidade o 1° posto telefônico, que funcionava na casa do Sr. Agostinho como meio de comunicação. 23 anos depois, boa parte da população já tem telefones instalados em suas casas.

Hoje existem outros meios de comunicação como: Correios, rádios piratas, televisão, Internet, rádios, circulação de jornais de outras cidades, etc.

Outro beneficio trazido pelo vereador Veríssimo Teixeira Costa, foi a abertura do 1° poço artesiano, o qual abasteceu parte da população até a chegada da água tratada pela COPASA, em novembro de 2005.

A primeira pensão instalada na comunidade para hospedar os viajantes, foi a do Sr. João Alves Teixeira; a 2ª foi a do Sr. João de Aguilar e a 3ª foi da Sra. Rita de Manoel.

Com a emancipação Político-Administrativa, em 22 de dezembro de 1995, inicia-se uma nova faze da história de Curral de Dentro, a qual deixou de ser Distrito de Águas Vermelhas e passou a exercer governo próprio. Houve a primeira eleição em outubro de 1996 (pleito 1997 – 2000), que elegeu como prefeito, o Sr. Lúcio Nogueira Alves e a 1ª Câmara de Vereadores composta da seguinte forma:

– Helvécio Félix Moisés (in memorian);

– João Alves Gomes (in memorian);

– José Laurentino Mendes;

-J ose Lito Batista dos Santos;

– Juscelino Ferreira dos Santos;

– Maria dos Passos Gomes da Silva;

– Renato Alves de Aguilar;

– Renita Clara de Jesus;

– Valtenir Dias de Oliveira;

– Wesley Arruda Braga.

Curral de Dentro é uma cidade bem evangelizada. Com 07 (sete) Igrejas evangélicas e 01 (uma) Igreja Católica, a qual é dirigida pelo Pároco Sérgio Stroplana, o padroeiro da cidade é São João Batista e a cultura local tem como destaque a Folia de Reis, Festas Juninas, artesanato, Festa do Caminhoneiro e Festa Country, que até o ano de 2004, foi realizada pela administração do prefeito Lúcio Nogueira Alves (2001 – 2004).

Nas atividades econômicas, destacam-se as Empresas Industriais, classificadas segundo o número de empregados (2000), que têm com atividade a extração de minerais não metálicos, as quais são: CIGRAMAR – Comércio de Granitos e Mármores Ltda; GRANFELIX – Mineração, Indústria e Comércio Ltda.

Os principais produtos agrícolas, com referência ao ano 2002 são: arroz em casca, banana, cana-de-açúcar, café, feijão, laranja, mandioca e milho. Na pecuária, destaca-se a criação de: bovinos, eqüinos, suínos e galináceos.

Nas eleições de outubro de 2004, para o pleito 2005-2008, foi eleito prefeito, o Sr. Sebastião Alves dos Santos, juntamente com os seguintes vereadores:

– Agostino Alves Teixeira;

– Clébson Manoel Malaquias;

– Donizeth David Xavier;

– Joaquim Resena de Souza;

– Jose Lito Batista dos Santos;

– Jose Mateus dos Santos;

– Maria dos Passos Gomes da Silva;

– Mauricio Gomes da Silva;

-Paulo Luiz de Matos Menezes.